Quem tem DSLR (das que trocam lente) já deve ter se deparado com fotos de um belo céu azul recheado de pequenas manchas, pontos e etc na imagem. Eu acho um descaso com sua própria fotografia.

É poeira daquelas mínimas mesmo que causam isso e tiram o sono dos fotógrafos que têm de retocar depois. Já vi algumas fotografias modernas que usam isso de forma estética, deixando uma imagem suja ou como se fosse um velho negativo riscado que foi revelado. Mas para quem deseja uma imagem nítida e sem interferência, vou dar algumas dicas de experiência pessoal. Faça tudo por sua conta e risco, não me responsabilizo.

Dito isso, na verdade não há muito risco e há um certo mito sobre o cuidado e medo que as pessoas têm em danificar o sensor. Na verdade, na frente do sensor há um vidro com diversas camadas para otimizar a luz que chega ao sensor e forma as imagens que vemos. E é este vidro que precisamos limpar para não ter uma fotografia com manchas.

Primeiro para se evitar uma manutenção mais periódica, deve-se ter em mente o que causa essa sujeira que é a troca de lentes. Evite a troca excessiva de lentes, planeje sua fotografia e evite fazer a troca em locais com vento, areia ou muita poeira. Procure deixar a câmera com a baioneta (entrada da lente) virada para baixo quando for fazer a troca e guarde a lente com as tampas na frente e atrás. É bom ter o costume de limpar o corpo da câmera também. Mesmo assim já ouvi relatos de sujeira no sensor de câmeras que o dono nunca havia trocado a lente. Equipamentos de entrada, mais baratos não tem a vedação total o que pode ocasionar isso.

Mas como identificar se minha câmera está realmente suja?” As manchas aparecem mais em áreas que são homogêneas e ficam evidentes em diafragmas mais fechados. Então para vermos como está a situação, coloque a câmera no modo de prioridade de abertura (Av), diafragma 22 (ou mais fechado que puder) e um ISO baixo. Aponte para sua parede branca, deixe a imagem desfocada e faça a foto. Você deve conseguir identificar os pontos na imagem. Para ter certeza que não é algo na parede, faça em um lugar um pouco diferente, os pontos estarão lá no mesmo lugar.

Agora à limpeza. Em um local limpo e sem vento, retire a lente da câmera. Procure no manual da sua câmera como manter o espelho levantado. Na minha por exemplo, no menu da câmera, há uma parte de ferramentas, bloqueio do espelho. Se esta opção estiver lá mas você não conseguir seleciona-la, é porque está com menos da metade da bateria, um recurso de segurança.

Para mim o que funciona mesmo 90% do tempo é o blower ou assoprador que é uma bomba de borracha para jogar ar. Já vi gente indicando lata de ar em spray, mas também já vi contra-indicações. O próprio blower também já vi alguns comentários que pode soprar poeira para dentro, mas é um recurso barato e fácil. Não use a boca pois vá acabar soprando saliva junto. Dé umas boas assopradas com o blower com a câmera virada para baixo. Recoloque a lente e refaça o teste para ver o resultado. Talvez seja preciso mais de uma vez, mas garanto que estará melhor. Algumas pequenas manchas podem persistir, mas faça o teste em um diafragma mais baixo e provavelmente as manchas sumirão. Eu mesmo dificilmente fotografo acima de F/11.

Outro dia, eu louco que sou, fui fazer alguns testes na limpeza. Gastei muitas horas e indico mesmo o blower. Usei um pano umedecido próprio para limpeza de telas LCD e foi um desastre. Líquidos para limpeza de sensor têm de ter uma volatilidade maior que a do álcool até, para dispersar rapidamente. Há produtos próprios mas não são fáceis de se encontrar no mercado nacional. Enfim tive de usar o lenspen (bom para limpar lente) para tirar as manchas que o pano havia deixado. Entretanto o lenspen solta também pequenos detritos do seu feltro. A marca possui um lenspen próprio para limpeza de sensor, mas como a cabeça é feita do mesmo material do lenspen comum, prevejo que não vai ser muito bom também. Ou talvez o lenspen gasta tão rápido o feltro de carbono da sua cabeça de limpeza que só pode limpar o sensor uma vez. Enfim, não cabe aqui ficar pensando demais nisso.

Também tentei usar um cotonete embebido em álcool. Deixei secar um pouco para ficar menos encharcado e passei rapidamente no sensor. Também não foi sucesso. Novamente tiver de passar o lenspen para retirar qualquer mancha e depois o blower para retirar as particulas deixadas pelo lenspen. Inclusive eu tinha um lenspen pequeno, tipo chaveiro, que tentei usar para chegar nos cantos do sensor e a ponta de feltro é colada no plástico do corpo e acabou saindo e quase ocorre um desastre comigo passando o plástico diretamente no vidro do sensor sem o feltro.

Enfim depois de horas limpando, testando, assoprando, ficou razoável a limpeza. Ainda consigo identificar pequenas manchas em diafragmas fechados mas que são imperceptíveis na maior parte das fotografias.

Um material que têm lá fora e consegui achar no mercado livre por uns R$ 60,00 é o swab para limpeza de sensor. O swab é uma haste de plástico, com uma ponta envolvida em tecido que não solta pêlos e já no tamanho do sensor de cada câmera. Alguns já vem lacrado em unidades com líquido próprio na quantidade certa. Ou seja, é só tirar do envelope e passar no sensor uma única vez da esquerda para direita e depois do outro lado da haste da direita para esquerda. Este ainda preciso comprar para testar, mas me parece ser a solução definitiva.

Quem ainda não quer se arriscar pode levar sua câmera para limpeza nas lojas especializadas e pagar em torno de R$ 120,00. Mas antes disso, teste ao menos dar uma assopradinha (com o blower).

Anúncios